Procedimentos

O que é

A cirurgia da mão é recomendada para pacientes que tenham casos de lesões nos ossos, ligamentos, nervos, músculos e até mesmo na pele. Além disso, é indicada em casos de tendinite (inflamação nos tendões), nos quais a dor é aguda e quando outras alternativas ao caso não surtiram o efeito desejado.
Outra situação na qual a cirurgia da mão costuma ser indicada é o de síndrome do túnel do carpo. A síndrome causa compressão do nervo mediano, intitulado de túnel do carpo, gerando sintomas como dor, formigamento e dormência das mãos, além de nos quadros mais graves haver a perda da coordenação motora.
O que o paciente precisa saber é que, assim como em outras especialidades, em um caso de cirurgia de mão, deve-se consultar um médico ortopedista especialista em mãos logo que sentir dor: quanto mais cedo uma doença for diagnosticada, maiores as chances de sucesso no andamento da recuperação.

Quando realizar a cirurgia?

Qualquer quadro de dor relacionado às mãos apresenta sintomas, que devem ser relatados ao médico ortopedista especialista em mãos. Ele irá orientar o melhor tratamento, por isso é importante saber que a primeira opção sempre será tentar o tratamento conservador, ou seja, à base de medicamentos, fisioterapia, injeções e outros procedimentos.

A cirurgia de mão é indicada em casos nos quais os tratamentos conservadores não surtiram o efeito desejado, fazendo com que a dor persista. Dentre as doenças que podem ser tratadas com cirurgia da mão, estão:

- Dedo em gatilho;

- Síndrome do túnel do carpo;

- Artrites e Artrose nas Mãos e Punhos;

- Doenças Congênitas;

- Feridas;

- Fraturas da Mão e Punho;

- Lesão de Nervos Periféricos;

- Lesão de Tendão;

- Lesão do Plexo Braquial;

- Lesão dos Ligamentos;

- Microcirurgia Reconstrutiva dos Membros;

- Moléstia de Dupuytren;

- Queimaduras;

- Reimplante de Membros (Extremidades);

- Síndromes Compressivas de Nervos;

- Tendinites, Tendinopatias e Lesões por Esforço Repetitivo (LER);

Como é feita a cirurgia? 

A cirurgia da mão começa com a internação do paciente no dia da cirurgia, que deve estar em jejum no caso de anestesia geral. É importante que o paciente também leve todos os exames para avaliação de risco cirúrgico, para que a equipe médica responsável pela operação possa orientá-lo da melhor maneira possível, e possa aplicar as intervenções adequadas a cada caso, ex: paciente com problemas cardíacos, diabético, com alergia a alguma medicação, etc.

O procedimento anestésico para a realização da cirurgia pode ser geral, ou por bloqueios de nervo – cirurgia colaborativa na qual o paciente permanece acordado durante o processo. A anestesia geral costuma ser aplicada em crianças, e em casos nos quais a cirurgia é muito extensa, causando desconforto para o paciente.

O bloqueio de nervo é realizado para que apenas a região da área afetada seja anestesiada, e geralmente feita por técnica de plexo braquial, que evita qualquer dor na região que envolve braço, antebraço, punho e mão.

Na sala de cirurgia, o paciente será monitorado, terá o lado do membro operado rigorosamente higienizado com sabão bactericida de iodo, além de ter o local isolado com panos esterilizados. Durante a cirurgia a circulação sanguínea do paciente é interrompida na região circunscrita: isso é feito para que o médico, e a equipe médica tenham uma visão mais clara da região afetada, bem como de ligamentos, tendões, veias, artérias, etc.

O pós-operatório

O pós-operatório começa pelo cuidado com os curativos e de limpeza no local da incisão: os curativos deverão ser retirados apenas por profissionais especializados, e na presença do médico para que ele possa avaliar o processo de cicatrização. A higienização deve ser feita com sabão neutro após a retirada dos pontos e o curativo deve ser mantido seco.

O médico ortopedista especialista em mãos irá receitar os medicamentos adequados para a recuperação do paciente. Normalmente são indicados analgésicos e anti-inflamatórios para cessar a dor. Em casos raros de infecção, o especialista irá receitar antibiótico.

É importante que a mão fique elevada durante o pós-operatório: isso evitará a formação de edemas. Na hora de dormir, a orientação é elevar a mão, apoiando-a em um travesseiro e evitando que ela seja pressionada. Recomenda-se também a aplicação de gelo para diminuir o inchaço no local.

O paciente tem que ter em mente que durante o processo de recuperação, não poderá carregar peso, nem realizar movimentos bruscos. Nesse período serão recomendadas sessões de fisioterapia para que haja a melhora dos movimentos e alívio dos quadros de dor.

Após a cirurgia e a reabilitação, espera-se que o paciente não sinta mais dor, porém é preciso que haja uma mudança de hábitos para que novos quadros de dor não apareçam. Durante o intervalo que envolve o diagnóstico, a cirurgia da mão, e a recuperação, caso sinta dor, lembre-se sempre de consultar o seu médico ortopedista especialista em mãos e evitar qualquer tipo de automedicação.

Consultório - Cotia, SP

Avenida Santo Antônio, 53
Tel: 4616-0406


Consultório - São Paulo, SP

Rua Conselheiro Brotero, 1505
Conjunto 31, 8º Andar
Tel: 3375-6581
Nextel: 94765-3990