Problemas comuns

Popularmente conhecida como fratura do boxeador, esse tipo de lesão atinge o osso que liga o punho ao dedo mínimo. Apesar no nome, ela dificilmente acomete pugilistas profissionais, já que os mesmos possuem luvas e acessórios de segurança. Contudo, a fratura ocorre quando a mão desfere um soco contra uma superfície dura. Esse contato de alto impacto é o responsável pelo trauma que pode ser de pequena a grande intensidade.

O que é?

A fratura do colo do quinto metacarpo, popularmente conhecida como fratura do boxeador, é uma lesão grave que costuma exigir emergência médica. De forma geral, essa fratura está associada a um forte impacto da mão contra uma superfície dura. Muitas vezes, isso ocorre em virtude da prática esportiva associada ao pugilismo mais amador. Profissionais raramente se lesionam dessa forma, já que dispõem de luvas e proteções que evitam esse tipo de lesão.

Comumente as vítimas desse trauma se machucam após algum acesso de fúria contra uma parede ou superfície dura. O contato de alto impacto é determinante para a fratura do colo do quinto metacarpo. Portanto, na ocorrência desse tipo de lesão, um médico especialista em mãos deve ser procurado de imediato, já que a dor do trauma chega a ser lancinante. 

O paciente que sofreu com a fratura do boxeador apresenta edema sobre o local do impacto, uma ligeira deformidade aparente, além de forte dor na mão. Muitas vezes o tratamento pode ser realizado de forma conservadora. Ou seja, com o uso de um imobilizador por algumas semanas é possível reverter o quadro.

A fim de se evitar sequelas em incidentes mais graves, o procedimento cirúrgico é altamente recomendável. Em detrimento disso, a procura imediata pelo médico especialista em mãos deve ser priorizada.

Sintomas

A sintomatologia da fratura do colo do quinto metacarpo se dá por meio da dor incapacitante. Dependendo da intensidade do impacto contra a superfície dura, a mão poderá apresentar algum grau de deformidade. Ao fechar a mão, pode aparecer um desvio na forma de ‘V’. Também pode ser identificado inchaço diante dessa condição, além da dor na mão.

De forma geral, a lesão ocorre no membro dominante. Ou seja, na mão mais utilizada pela vítima do trauma. Caso da direita nos destros, ou da esquerda em canhotos.

Diagnóstico

Avaliar e diagnosticar a fratura do boxeador é bastante simples. Com um breve exame clínico é possível identificar o problema e intervir com um tratamento adequado.  A avaliação realizada pelo médico especialista em mão é feita por meio do histórico do trauma e colhimento dos sintomas.

De qualquer forma, o ortopedista responsável pelo caso indica exames de imagem que possam reforçar a suspeita. Com uma simples radiografia é possível diagnosticar o problema e, por sua vez, preconizar o tratamento mais adequado, baseando-se na gravidade da fratura. 

Tratamento

Como salientado, o tratamento da fratura de colo do quinto metacarpo se dá de duas formas distintas. A primeira se utiliza de método conservadores que dispensam o paciente de ser submetido a um procedimento cirúrgico. Nesse caso, que geralmente costuma ser o mais comum, a imobilização do membro afetado é o método mais eficaz para a cicatrização do osso fraturado. O tempo médio para a completa recuperação varia de três a cinco semanas após a lesão. Essa imobilização pode ser feita tanto com um gesso quanto com órtese.

Quando o comprometimento da mão é mais acentuado, o ortopedista responsável realiza a recolocação do osso no local de origem. Em alguns casos é necessária a aplicação de anestesia sobre a região acometida pela lesão.

O progresso do paciente em reabilitação deverá ser acompanhado por um fisioterapeuta. Esse profissional será responsável pelo restabelecimento das funções motoras da mão, tão importantes para as tarefas diárias. Esse tratamento se dá, sobretudo, após a imobilização estar concluída.

Quando o desvio dessa fratura for muito grande e a dor na mão for contínua, o procedimento mais invasivo deverá ser priorizado. Esse tratamento, apesar de ser mais desconfortável, garante que não haja sequelas crônicas da fratura. O paciente, portanto, é submetido à colocação de pinos e fios internos para a fixação do osso lesionado. 

Na sequência, há a imobilização do membro afetado, a fim de fixar o osso no seu local correto. A fisioterapia também é recomendada nesses casos mais graves.  

Felizmente o prognóstico da fratura do boxeador é muito satisfatório, com recuperações rápidas e bem-sucedidas.  Porém, as causas da lesão, como o motivo da pancada na mão, devem ser investigadas, já que podem direcionar para um comportamento atípico. Muitas vezes pacientes com transtornos, ou sérios problemas de álcool são vitimados pelo acesso de fúria, que resultam na fratura de mão. Portanto, além do ortopedista, especialistas das áreas da saúde mental devem ser consultados.

Menu - Problemas comuns

Consultório - Cotia, SP

Avenida Santo Antônio, 53
Tel: 4616-0406


Consultório - São Paulo, SP

Rua Conselheiro Brotero, 1505
Conjunto 31, 8º Andar
Tel: 3375-6581
Nextel: 94765-3990