Problemas comuns

O que é?

Diariamente, milhares de pessoas procuram hospitais e postos de saúde próximos relatando cortes na mão (palma ou dedos), sejam eles profundos ou superficiais. O que acontece, é que esse é um dos principais motivos de ida ao médico. Somente em 2011, os hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS) atenderam mais de 27 mil pessoas em decorrência de acidentes domésticos do tipo.

Apesar de a maioria dos casos ser simples, com cortes nas mãos superficiais, a outra parte conta com cortes mais profundos, que podem atingir um vaso sanguíneo ou mesmo lesionar tecidos e articulações. Como acontece no caso de um corte no dedo ou na palma da mão, que pode ferir as pequenas articulações responsáveis por esticar e flexionar os dedos.

Quem faz parte do grupo de risco?

Em suma, todas as pessoas de diferentes idades, etnias e sexos estão sujeitas a sofrer cortes ou feridas nas mãos, mas alguns tipos de indivíduos estão mais sujeitos que outros. É o caso de profissões arriscadas, onde o local de trabalho e as atividades incluem facas e objetos pontiagudos, como açougueiros, empregadas domésticas, operários, cozinheiros, gastrônomos, marceneiros e construtores.

Pode se dizer também que idosos possuem mais chance de sofrerem esses acidentes domésticos por uma razão muito simples: com a velhice, as estruturas do corpo e a pele ficam mais frágeis. Se em uma mulher com idade entre trinta e quarenta anos um corte profundo com faca de cozinha lesiona menos tecidos e se recupera de modo normal, em uma mulher idosa esse mesmo corte pode comprometer mais e se recuperar de modo muito mais lento.

Primeiros socorros

O mais importante após sofrer um corte na mão é pedir o auxílio de alguém que esteja disposto a realizar os primeiros socorros. Antes de tudo é preciso higienizar as mãos para eliminar possíveis germes e bactérias para então começar os trabalhos de limpeza da ferida e então realizar o curativo ou encaminhar para um pronto-socorro ou posto de saúde.

A ferida pode estar com sangue abundante e com detritos de sujeira ou bactérias decorrentes do incidente. Para limpar tanto ela como o local ao redor, jogue levemente água potável sobre o corte e limpe ao redor com qualquer tipo de sabão, mas não o aplique diretamente sobre a ferida. Na água, você pode diluir algum líquido antisséptico, como água boricada para eliminar possíveis germes e bactérias. Tudo isso tem de ser feito com bastante cuidado para não agravar o ferimento.

Em seguida é indicado utilizar gaze ou pano limpo para pressionar o local no intuito de parar o vazamento de sangue. Normalmente, o corpo se encarrega de estancá-lo a partir de proteínas e plaquetas presentes na corrente sanguínea, o que deve levar no máximo dez minutos. Algumas doenças podem danificar o sistema de coagulação, como ocorre em pessoas com problemas de plaquetas, anêmicos, hemofílicos, pacientes com câncer no fígado ou que estejam passando por tratamento com anticoagulantes.

Se o corte for profundo ou não estancar rápido, o indicado é realizar os primeiros socorros, enrolar o ferimento em um pano limpo e se dirigir ao pronto-socorro. Do contrário, é só limpar a ferida, passar algum líquido antisséptico ou pomada e realizar um curativo, que deve ser trocado após o banho ou se for molhado.

Quais os sintomas?

Os sintomas variam de acordo com a gravidade do ferimento. No caso de ferimentos profundos, é possível que outras pessoas percebam a ferida antes mesmo do paciente, e isso se deve ao hormônio liberado pelo corpo chamado endorfina, que alivia dores. Entretanto, se o ferimento danificar outros tecidos da mão, como cartilagens, articulações, ossos ou nervos, a dor pode ser bem grande e perceptível na hora.

É comum as pessoas se queixarem de que um simples e pequeno ferimento na ponta do dedo decorrido de uma folha de papel dói muito mais que um ferimento à faca, por exemplo. A explicação é simples: a folha de papel, ainda que não possa ser notada a olho nu, tem ponta cega, ou seja, danifica muito mais a pele do que em uma faca afiada, mas essas erosões são quase microscópicas e são difíceis de cicatrizar.

Outra tese bem razoável é que a ponta dos dedos possui várias terminações nervosas, e esses cortes pequenos as deixam visíveis e expostas ao ar e pequenos detritos, o que causa uma dor bem intensa.

De que forma é aplicado o processo de diagnóstico?

O processo de diagnóstico é feito em consulta clínica no pronto-socorro ou posto de saúde, mas tende a ser um pouco mais apressada que a consulta clínica normal, justamente para atender o paciente da melhor forma possível. A primeira análise deve ser feita por um médico ortopedista especialista em mão, que vai observar a ferida e o aspecto dela para tirar as primeiras conclusões.

Somado a isso, ele deve fazer alguma perguntas ao paciente, como se a dor é intensa ou se há outros sintomas (como vermelhidão ao redor ou pus na ferida, o que pode indicar uma infecção), histórico de saúde familiar e individual no intuito de descartar doenças hereditárias que dificultam a coagulação ou cicatrização e por fim, uma rápida descrição da rotina diária do paciente e como a ferida foi feita. Para adiantar a consulta e agilizar o atendimento, o acompanhante pode fazer anotações com essas respostas.

Se o médico achar importante, ele deve pedir alguns exames para observar se houve traumatismo em estruturas da mão, como é o caso das Lesões Tediosas na Mão. O que pode ajudar é um exame de tomografia computadorizada, que fornece imagens nítidas das estruturas internas. No caso de um ferimento muito grande, como em máquina industrial, os ossos da mão podem ser prejudicados, sendo assim, uma radiografia virá a calhar, pois emite imagens de raios-x das estruturas ósseas.

Quais são as formas mais eficientes de tratamento?

A forma mais eficiente de tratamento, caso as estruturas internas tenham sido comprometidas, é a cirurgia de mão, que visa não só fechar o ferimento, mas tratar dos tendões lesionados e de possíveis fraturas ósseas -que podem necessitar de próteses metálicas para fixação. Nela, o médico ortopedista especialista em mão ou um cirurgião que esteja habituado a trabalhar com mãos deve ter o auxílio de um anestesista, para aplicar uma anestesia geral ou apenas local, depende a necessidade.

O procedimento não deve levar mais do que quatro horas se contar com fraturas ósseas (uma lesão grande e séria) que exijam remodelamento do osso. Basicamente, é o tempo de limpeza da ferida, aplicação de anestesia, tratar do tendão lesionado, costurá-lo e fechar a ferida. A anestesia geral exige que o paciente passe até um dia na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para que seja acompanhado por médicos e enfermeiros ou até que o efeito da passe.

Informações sobre prevenção e pós-operatório

Normalmente, um corte profundo, mas que não seja grave consiste em uma rápida cirurgia de mão ou apenas a limpeza e fechamento da ferida. Possivelmente o paciente pode retornar ao domicílio no mesmo dia. Contudo, as lesões mais sérias pedem que ele permaneça no hospital por até três dias.

O pós operatório é simples, não exige cuidados extremos. O mais importante é realizar a troca do curativo, que pode ser feita após o banho ou duas vezes ao dia. Para retomar toda a mobilidade e eficácia dos movimentos (principalmente se for um corte na palma da mão), é importante que o indivíduo faça fisioterapia por determinação e período indicados pelo médico.

Pensando na prevenção, o que pode ser feito é manter bastante cuidado ao manusear facas e objetos pontiagudos e utilizar luvas metálicas, como é feito em alguns açougues com seus funcionários. No caso de idosos, que podem apresentar dificuldades para lidar com ações que exijam coordenação motora, o mais indicado é auxiliá-los da melhor forma possível na realização da atividade, ou apenas não deixá-los manusear esses objetos.

Outros cuidados muito importantes devem ser tomados nos casos onde o ferimento seja decorrido de um objeto enferrujado, e o paciente não se recorde ou tenha tomado a vacina antitetânica há mais de cinco anos. Outra questão é usar luvas antissépticas para lidar com as feridas. Se o paciente for portador de HIV, apenas se preocupe caso você também esteja com ferimentos nas mãos, sendo assim, só faça os primeiros socorros com luvas.

No mais, mantenha uma alimentação saudável, rica em nutrientes e pratique esportes para manter uma vida saudável e ativa, pois assim, os ferimentos cicatrizam mais rápido.

Menu - Problemas comuns

Consultório - Cotia, SP

Avenida Santo Antônio, 53
Tel: 4616-0406


Consultório - São Paulo, SP

Rua Conselheiro Brotero, 1505
Conjunto 31, 8º Andar
Tel: 3375-6581
Nextel: 94765-3990